sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Treinos Agosto - Outubro

Entre o início de férias na primeira semana de Agosto e a Meia-Maratona do Porto passaram-se 11 semanas de treino intensivo. Tinha feito o Triatlo de Penacova e percebido a necessidade de melhorar. O objectivo para Agosto era fazer 4 semanas de treino: As primeiras 3 com um aumento de intensidade e a quarta de redução. Entre a terceira e quarta estava o ponto alto do mês (subida à Torre).
Em Setembro tinha uma viagem a Londres (de quinta-feira da 2ª semana a terça-feira da 3ª semana), pelo que não seria possível fazer um mesociclo semelhante. Optei por fazer 2 semanas com uma terceira de descanso. Nas restantes 4 semanas até à Meia Maratona o objectivo era fazer o mesmo que em Agosto mas acabei por não conseguir.
Enquanto que quando se está de férias e com treinos entre as 8-10h é fácil disciplinar e cumprir o próprio programa, em dias de trabalho, com cargas de treino superiores, piores condições atmosféricas, dias mais curtos, 2 jogos de futsal por semana e um Triatlo pelo meio (que era mais importante que a Meia Maratona em termos pessoais) os objectivos não foram cumpridos.
Fiz uma semana de intensidade e duração de treino muito elevada logo após Londres (10h30 entre quarta e domingo) e no início da semana seguinte senti-me cansado e com necessidade de abrandar um pouco para estar a 100% no Triatlo. Na semana seguinte voltei a reduzir para recuperar entre Triatlo e Meia Maratona e por fim, na 11ª semana voltei a aumentar um pouco fazendo cerca de 9h30 (no qual se inclui a Meia Maratona. No gráfico seguinte apresenta-se a evolução das semanas de treino.



Passando agora para uma análise semana a semana, devo dizer que em Agosto todos os treinos foram feitos com Monitor de Frequência Cardíaca (MFC) permitindo assim uma análise mais detalhada. Em Setembro com os jogos de futsal já não consegui controlar tão bem o número de horas pelas diferentes zonas. Vamos então analisar as primeiras cinco semanas.

1ª Semana

A primeira semana incluía, desde logo o Triatlo de Raiva. Deste modo, a maior parte do treino foi feito entre as 70% e as 80% da frequência cardíaca máxima. A única excepção foram dois treinos intervalados (um de corrida e um de spinning) e a prova em si. Acabei por estar quase tanto entre os 80% e os 90% do que entre os 70% e os 80%.


2ª Semana

Na segunda semana não tive nenhuma prova e apenas subi a Assunção em bicicleta por isso foi a semana mais certinha. Voltei a fazer 2 treinos intervalados e a grande maioria do tempo foi passada entre os 70% e os 80%. A necessidade de emagrecer era óbvio (sobre isso vou falar brevemente).

3ª Semana

A terceira semana incluiu uma subida à Sra. da Graça e nenhum treino intervalado. Aliás, os únicos momentos que ultrapassei os 80% foi nessa subida, onde acabei por bater o meu recorde pessoas.


4ª Semana

A 4ª semana era de redução das cargas e recuperação. No entanto, acabou por ser nesta a Subida à Torre (logo na 2ª feira). Isto explica os altos valores entre os 80% e os 90%. Não houve, uma vez mais nenhum treino intervalado.


5ª Semana


A 5ª semana já foi te trabalho, mas tal como na semana seguinte consegui cumprir à risca o planeamento. Voltei a fazer um treino intervalado e continuei a apontar na maior parte dos treinos para os 70% e os 80% para continuar a perder uns quilitos.



Esta foi a análise possível a algumas das semanas mais intensas de treino que tive. Foi um período em que tentei ser o mais disciplinado possível e os resultados apareceram. Bati todos os recordes pessoais que podia bater (Sra. da Assunção, Sra. da Graça, Torre, Triatlo Sprint e Meia Maratona) e senti-me no final no auge da forma. Consegui baixar dos 87 kg para os 77kg nestes dias. Mas sobre isso vai ser o próximo post.

Não sei se terá sido o melhor treino possível e gostava de saber a vossa opinião. Onde posso melhorar?

2 comentários:

José Santos disse...

Ponham os olhos neste SENHOR!!!

Para o próximo está com 60kgs e fazer 1h:20m:38s na Meia Maratona.

Bons treinos.

Mark Velhote disse...

Viva

O meu amadorismo não me permite dar grandes conselhos, mas qualquer pessoa que suba a Sra da Graça sem "desmontar" é merecedora da minha admiração!

Força