quarta-feira, 5 de maio de 2010

III Triatlo de Abrantes

th_ABRANTES_001 (10)

Antes de mais importa dizer que este Triatlo não era uma prioridade. O meu treino durante a semana foi durinho (incluindo séries na sexta-feira) e no próprio dia sentia um pouco o cansaço.
Após uma viagem um pouco atribulada (mais uma), com mais dois colegas do CFV, lá estávamos nós dentro da água (gelada) prontos para mais um triatlo.

Natação (750 metros)



Foto Gonçalo Pitarma Blog

O tiro, perdão, a corneta da partida soou e eu, que uma vez mais me resguardei, parto de trás para a frente.
Comecei no meio da confusão, e embora não fazendo a respiração a 3 braçadas, o medo de me afogar não existia e, inclusivamente ia passando alguns nadadores. Estava, de facto, no meio do pelotão, não levei nem dei porrada (tirando na passagem pelas boias, onde muita gente se acumulava num curto espaço).
O percurso favorecia tempos record. Quase metade era a favor da corrente, e o restante era na perpendicular. Quando saio da água, olho para o relógio e ainda está nos 14 minutos. Fantástico!
Acabei por fazer 0:14:38, para ser exacto e tinha deixado mais de 60 nadadores para trás, algo impensável há meia dúzia de meses.

Ciclismo (20 km)

th_ABRANTES_003 (19)

A transição para o ciclismo é que não correu tão bem. Demorei demasiado no parque e saí quando o meu relógio marcava 17 minutos. É uma situação que tenho que rever rapidamente.
Em cima da bicicleta senti-me muito à vontade. É certo que agora já existem atletas que me passam, mas continuei a fazer uma corrida de trás para a frente. Ia saltando de grupo em grupo, gerindo o esforço entre uns e outros e, volta e meia, encontrava bons parceiros para dividir o esforço.
Só que não se tratava de um percurso plano, tinha uma subida (não muito longa, diga-se) que deveria andar acima dos 6% e que partia os grupos volta após volta. Tendo em conta que eram três voltas, pode-se dizer que neste triatlo o ciclismo era durinho, mas não exagerado.
Acabei, no entanto, para fazer um tempo demasiado alto e para bater o record de Coimbra teria que fazer a corrida em 20 minutos. Os 46:06 que fiz deveram-se sobretudo à subida, que me impediu de fazer uma média acima de 30 km/h. De qualquer forma era o 149º tempo e permitiu que eu subisse bastantes lugares.

Corrida (5 km)
O último segmento era praticamente plano. Tentei dar o máximo mas já sentia algum cansaço, talvez devido à intensidade de treino durante a semana. Ganhei alguns lugares mas também fui ultrapassado por atletas que estavam bem rápidos. Percebi rapidamente que não ia bater o record, mas fui dando o máximo para fazer um bom tempo. Foram 22:13, nada de extraordinário mas aceitável, acabando por ser o melhor segmento em termos de classificação geral (147º).

Resultado Final
Acabei por não bater o record. O ciclismo neste triatlo era bem mais difícil que em Coimbra, e isto serve de explicação. Comparei o meu tempo com alguns atletas que fizeram um tempo semelhante em Coimbra e dei-lhes cerca de 4 minutos.
Desta vez não senti cãibras mas tinha dores musculares devido ao treino intenso. Ficam, no entanto, boas sensações para o próximo Triatlo em Coimbra. Fiquei em 160º com 1:22:54 entre 243 que acabaram (a 2/3 do topo da tabela). A natação ainda é o pior segmento, mas vem melhorando. Apesar disso subi 24 lugares no ciclismo e no atletismo.

6 comentários:

Anónimo disse...

Boas, penso que tens fotos neste blog http://goncalopitarmablog.blogspot.com/ no album do Picassa.
Bons treinos
Paulo Pitarma

MT disse...

Já te roubei uma foto e também acrescentei o teu blogue ali à lista do lado ;). Obrigado!!

Mark Velhote disse...

Viva Miguel,

Boa prova apesar de não ser record.

Fiquei assustado pela frase " o medo de me afogar não existia". :D

Antes de me aventurar vou mesmo aprender a nadar decentemente.

Abraço e parabéns ao CFV pela contratação!

MT disse...

Isso será num sentido figurado. Há sempre barcos da federação à nossa volta, sobretudo se estivermos nos últimos lugares. Só me assustei um pouco em Alpiarça com tanta gente à minha volta, porque antes ficava sempre para trás.
Mas agora tenho cada vez mais prazer na natação.

MPaiva disse...

Grande prova iguel. Só de lembrar que há um ano, no Triatlo da Póvoa, demoramos mais ou menos 10 minutos para fazer 300 metros de natação, já ficamos a saber da tua gigante evolução!

abraço
MPaiva

José Santos disse...

Há sempre inconvenienetes com os quais não contamos, neste caso a transição e a dureza do ciclismo.
Cada prova é diferente.
Ainda tens uma boa margem de progressão, apesar de já teres percorrido um longo caminho.